Método Rolf - Integração Estrutural

Corpo alinhado e sem dores crônicas na coluna e articulações

Ida Rolf e os dois paradigmas da saúde

Pressão contra a abordagem holística

Enquanto isso, o holismo tinha experimentado um boom durante a emergência do paradigma científico como força dominante. No vácuo aberto no mundo científico americano do século XIX, diversas disciplinas holísticas haviam emergido. A homeopatia e a higiene natural ganharam importância, e a seguir, nas últimas décadas do século, a quiropraxia, a naturopatia e a osteopatia foram desenvolvidas. Todas se apoiavam firmemente na tradição holística, todas se dedicavam ao objetivo hipocrático de restabelecer o equilíbrio do sistema como base para a cura. E todas tiveram vários graus de acolhimento por parte do público (John D. Rockefeller teve um médico homeopata mesmo enquanto dava forma a seu instituto.)

Entretanto, o século XX que se iniciava não era amável para com as modalidades novas. Os ambientes políticos e culturais inclinavam-se quase totalmente em favor da biomedicina. Em 1910, patrocinado pela Fundação Carnegie, saiu o Relatório Flexner, tendo como autor Abraham, irmão de Simon Flexner. Seu objetivo fora examinar as condições nas faculdades de medicina americanas. Fazia acusações duras, recomendando que em 80% de todas as faculdades de medicina os cursos fossem interrompidos. Mas o relatório focalizou também as escolas de orientação homeopática e osteopática, e usou de palavras rudes na avaliação de suas atividades. O relatório usou os termos “totalmente impossíveis”, “absurdamente inadequadas” e “irremediavelmente defeituosas” para descrever as escolas holísticas visitadas por Flexner. Qualificou a quiropraxia como algo indigno de consideração, afirmando que os quiropráticos “grasnavam desmedidamente” e que “os magistrados do Ministério Público e o Grande Júri são as agências apropriadas para tratar deles”. Considerou “indefensáveis” as concepções holísticas ou alternativas, na era da nova medicina científica.

Para além do Relatório Flexner, as escolas e os médicos holísticos passaram a ser vistos pelo mundo médico e em certo grau também pelo grande público como incompetentes, no melhor dos casos, e como fraudes, no pior dos casos. Ao mesmo tempo, William Welch usava seus poderes para dirigir o fluxo do dinheiro da pesquisa no campo da medicina, e o dinheiro decididamente não fluiu no sentido de algumas das disciplinas holisticas. Em conseqüência, os médicos holísticos foram deixados à margem, dedicando-se aos cuidados de menor importância.

(Uma das ironias da carreira da Dra. Rolf foi que o irmão de seu chefe no Instituto Rockefeller - e ela teve muita admiração e respeito para Simon Flexner – trabalhou para erradicar o campo em que ela passaria mais tarde a maior parte de sua vida profissional.)

Einstein e o holismo, Parte Dois

Albert EinsteinMas, enquanto o reducionismo reinava supremo no mundo médico no alvorecer do século XX, o mundo científico estava a ponto de submeter-se a um novo deslocamento tectônico. Hipócrates estava prestes a retornar à luta, na figura de um obscuro escriturário de cartório. Em 1905, Albert Einstein publicou dois artigos, um sobre a teoria da relatividade restrita e outro que ajudaria a desenvolver a teoria quântica. Em 1916, ano em que Ida Rolf graduou-se pela faculdade de Barnard, Einstein adicionou a gravidade ao conjunto para apresentar sua teoria da relatividade geral. A gravidade, de acordo com Einstein, não é uma força, coforme a definição de Newton, mas uma curvatura do espaço-tempo. A terra não se move em uma órbita elíptica em torno do sol; antes, move-se em uma linha reta aparente que segue a curvatura do espaço.

As implicações da teoria da relatividade e da teoria quântica, e seu impacto na ciência e a cultura no século XX estão fora do alcance deste artigo ( Capra de Fritjof sozinho tem diversos livros sobre o assunto). Mas a física do século XX - em especial a teoria quântica - estabeleceu uma estrutura científica mediante a qual o holismo poderia ser compreendido e apreciado. Igualmente mostrou que Descartes estava errado, ou no mínimo limitado de acordo com pelo menos um ponto de vista.

Descartes acreditou em um universo físico feito das partes separadas, que poderiam ser estudadas e compreendidas. A teoria do quantum mostrou que as coisas não eram desta maneira. No menor, no nível mais fundamental - o atômico - as menores partículas não são coisas distintas: são mais apropriadamente pensadas como interconexões (a própria palavra “partícula” é inadequada e errônea em nível atômico). A teoria quântica conduz não às coisas, mas ao relacionamento constante. O mundo pode ser dividido em partes até certo ponto, mas quando as partes ficam cada vez mais e mais minúsculas, transformam-se em algo que pode ser concebido menos exatamente como peças e mais exatamente como uma complexa rede de relações.

Descartes igualmente acreditou na existência de uma verdade absoluta em ciência, e que a verdade poderia ser comprovada pelo método científico. Capra de Fritjof argumenta que “no ponto de retorno”, “a física do século XX nos tem mostrado muito vigorosamente que não há nenhuma verdade absoluta em ciência, que todos os nossos conceitos e teorias são limitados e aproximados.” Os críticos do reducionismo argumentam que o método científico, quando útil e poderoso, tem seus limites na realidade compreensível.

Uma observação sobre a teoria de relatividade é útil aqui. Einstein nunca acreditou que sua teoria deveria ou poderia ser aplicada acuradamente às matérias morais ou metafísicas. Um grande número de filósofos e físicos acredita que Capra e outros empregaram mal a teoria da relatividade, ao reivindicar a aplicação do relativismo em outros campos. Entretanto, há também que defenda que ele provavelmente se encontra em terreno firme, ao estendê-la a outros domínios.

“O mundo surge assim como um tecido complicado de eventos, em que as conexões de diferentes tipos se alternam ou se sobrepõem ou combinam e determinam desse modo a textura do todo.” Werner Heisenberg.

“Sua segurança vem somente das relações…O único terreno seguro para um rolfista é estabelecer relações equilibradas no corpo. Esta é sua base segura, e não é possivel convertê-la em algo que seja tão sólido como uma parede.” Ida Rolf.

Profissional certificado

Armando Macedo é profissional do Método Rolf certificado pela Guild for Structural Integration - GSI. Clique aqui e digite o nome do profissional no campo "find" correspondente a "Find Pratitioners" do site americano.

Atendimento: Rua Tuiuti, 2530 - conjunto 76, Tatuapé, São Paulo. Fones: (11)2097.1992 e (11)2768.1018.