Método Rolf - Integração Estrutural

Corpo alinhado e sem dores crônicas na coluna e articulações

Entrevista com Ida Rolf

O processo de Integração Estrutural chega talvez a um fim?

Não creio que se possa falar de um fim para a Integração Estrutural. Concluir a série de sessões, isto sim, mas somente quando o indivíduo tiver chegado a uma completa harmonia consigo mesmo e seu ambiente se poderá considerar a palavra fim!

Existem pacientes que não deveriam ser rolfados? Suponho que existam casos para os quais o tratamento deva ser evitado.

Sim, existem os casos de risco. São as pessoas com suspeita de câncer, que nós evitamos tratar pelo temor de complicações legais. Não creio, de qualquer forma, que se sentiriam melhores; a menos que exista um rolfista corajoso, disposto a trabalhar o corpo deles. Devemos também tomar em consideração os aspectos ligados à cultura ocidental moderna.

E se o paciente sofresse de uma grave lordose ou de uma forma de artrite?

Baseamos o nosso sucesso exatamente sobre esse tipo de problema físico!A professora de música tinha uma amiga, que já havia consultado 17 médicos sem chegar a obter um resultado satisfatório. Veio a mim e eu a ajudei. Por sua vez, me mandou uma série de amigos com seus problemas e assim por diante. Você sabe aonde isso me levou.

Foi um sucesso depois do outro?

Um depois do outro. Tínhamos a chave para abrir a porta, que nenhum outro tinha, e as portas que se abriram foram muitas. Assim, desde então, dia a dia o nosso trabalho só aumentou.

Teremos um batalhão de rolfistas cada vez maior?

Não tenho dúvidas. Agora mesmo temos muitas inscrições, suficientes para formar três turmas posteriormente.

A senhora mesma se ocupará destes cursos?

Não, são os instrutoresEmmet Hutchins e Peter Melchior foram os primeiros instrutores escolhidos pela dra. Ida Rolf para ensinar Integração Estrutural. Peter faleceu em 2005. Emmet continua à frente da Guild for Structural Integration (GSI), muito respeitado por causa do refinamento e da profundidade de seu trabalho. AM de Rolfing® mais jovens que o fazem. Eu me ocupo dos cursos avançados, que são realizados duas ou três vezes por ano, em BoulderCom quase 100 mil habitantes (estimativa 2005) e distante 40km da capital, Denver, Boulder abriga a Universidade do Colorado. Na cidade estão sediados o Rolf Institute e a Guild for Structural Integration (GSI), no Colorado

Quantos rolfistas são trienados todo ano?

O número oscila de 20 a 30. Prefiro limitar o número de inscritos pelo temor de inchar os cursos. Creio que seja mais importante haver poucos bem treinados do que muitos mal preparados.

Tendo concluído o curso básico, um rolfista pode considerar-se completo sobre todos os pontos de vista?

Não! Isso ele só consegue com o tempo, acumulando experiência durante ao menos cinco anos, desde que nesse meio tempo ele comece a trabalhar. Uma vez concluído o curso básico, poderá iniciar sua prática, a partir dos amigos mais próximos, para depois ampliar o círculo. Durante este período, ele acabará por se tornar um indivíduo muito útil à sociedade. No passado, preocupava-me o fato de que muitos dos jovens rolfistas pudessem terminar o curso sem uma preparação adequada. Entretanto, agora estou mais inclinada a pensar que o importante não é tanto a preparação teórico-prática, mas a difusão da teoria do Rolfing® no interior da sociedade, através do trabalho deles. Deste modo, contribuem para melhorar a sociedade, uma vez que estou firmemente convicta de que, sem essa teoria, nenhum indivíduo pode ter uma vida melhor. Desde então durmo um sono tranquilo!

Nota: Rolfing® é marca registrada do Rolf Institute.

Profissional certificado

Armando Macedo é profissional do Método Rolf certificado pela Guild for Structural Integration - GSI. Clique aqui e digite o nome do profissional no campo "find" correspondente a "Find Pratitioners" do site americano.

Atendimento: Rua Tuiuti, 2530 - conjunto 76, Tatuapé, São Paulo. Fones: (11)2097.1992 e (11)2768.1018.